Serviços continuam atrás dos demais segmentos e têm queda de 4% em março...

O volume de serviços caiu 4% em março comparado a fevereiro, queda maior do que a expectativa do mercado (-3,2%).


O resultado negativo pode ser explicado pelo aumento das medidas de distanciamento social.


Além do setor de serviços, a indústria (-2,4%) e o varejo (-0,6%) também apresentaram queda no mês de março.


O setor de serviços continua a ser o mais afetado pela pandemia. Caindo mais em meses de maior restrição de mobilidade e tendo uma recuperação mais lenta posteriormente.

Fonte: IBGE. Elaboração: GO Associados.


Em relação a março de 2020, houve uma alta de 4,5%. Lembre-se, contudo, que a base de comparação é bastante deprimida, pois março de 2020 foi o primeiro mês de quarentena. Em 2020, o volume de serviços encolheu 7,2%, com uma forte queda no segundo trimestre e uma lenta recuperação no segundo semestre.


No acumulado de 12 meses até março, os serviços registraram queda de 8%.


O item serviços prestados às famílias (27%) foi o que mais caiu e acumula queda de 39,8% nos últimos 12 meses, sendo um dos setores mais afetados pela pandemia.



Fonte: IBGE. Elaboração: GO Associados.


Apenas quando a pandemia for colocada sob razoável controle será possível o

funcionamento pleno do setor. Até lá, a recuperação será lenta e com novas quedas em

função da pandemia.


O condicionante principal para a recuperação do setor, como de resto para o conjunto da economia, continua sendo a vacina.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo