MINUTO DE ECONOMIA


Inflação em 12 meses supera o dobro do teto da meta em outubro…

  • O IPCA de outubro foi de 1,25%, acima da expectativa da GO Associados (1,10%) e do mercado (1,05%).

  • O índice oficial de inflação no acumulado em 12 meses permaneceu acima de dois dígitos e acelerou no mês, de 10,25% para 10,67%, superior ao dobro do teto da meta de inflação para 2021, 5,25%.

  • O resultado de outubro foi o maior para o mês desde 2002, quando o câmbio atingiu o maior valor em termos reais desde o início do plano Real, pelo efeito da vitória iminente do então candidato Lula.

  • Em valores atualizados, o câmbio de outubro de 2002 teve a média de R$7,36, contra R$5,63 em outubro de 2021.


  • O item transportes teve a maior variação (2,62%), a gasolina subiu (3,1%) seguindo as altas anunciadas pela Petrobrás ao longo de outubro.

  • Um sinal positivo para os próximos meses é o preço do dólar que está diminuindo nesta primeira quinzena do mês, passando de R$ 5,64 para R$ 5,46. Este movimento pode fazer com que a Petrobrás reverta um pouco o processo de alta dos combustíveis. A gasolina acumula alta de 38,29% no ano e de 42,72% nos últimos 12 meses.

  • Os alimentos também pressionaram a inflação (1,17%), alguns itens dispararam: frango em pedaços (4,34%), batata-inglesa (16,10%) tomate (26,01%).

  • Preocupa também como a inflação está disseminada entre todos os grupos do índice. Dos nove conjuntos do IPCA apenas quatro apresentaram inflação menor que 1% no mês e menores que o teto da meta (5,25%) no acumulado do ano. Somados, estes grupos representam apenas 33,7% do índice.


  • Este comportamento inflacionário reforça a percepção de que o Comitê de Política Monetária deverá continuar o ciclo de alta na última reunião do ano em 8 de dezembro.


0 visualização0 comentário