MINUTO DE ECONOMIA




PNAD Contínua mostra desemprego recorde de 14,8 milhões de pessoas…


A taxa de desemprego no trimestre móvel encerrado em março foi de 14,7%, em linha com projeção da GO Associados (14,7%). No mesmo trimestre de 2020 a taxa foi de 12,2% e a do trimestre encerrado em fevereiro a taxa foi de 14,4%.A taxa de subutilização (desemprego + desalento+ sub ocupação) foi de 29,2% até fevereiro.


O número de pessoas ocupadas caiu 529 mil em relação ao 4º trimestre e 6,57 milhões em relação ao 1º trimestre do ano anterior. A principal causa do aumento é a sazonalidade de início de ano causada pelas demissões de dezembro. O padrão sazonal indica queda da taxa de desemprego a partir de abril.


A GO Associados alterou sua metodologia de cálculo da taxa real de desemprego a partir deste mês. A mudança é justificada pela entrada no segundo ano de pandemia, o que prejudicaria a metodologia antiga que mantém o número na força de trabalho do mesmo mês do ano anterior constante.

Na nova metodologia é mantido constante o nível de participação da força de trabalho em relação à população acima de 14 anos com base nos dados de 2019. Desta forma, caso a população cresça, a força de trabalho que serve como base deste cálculo também crescerá.


Taxa real de desemprego é maior do que o número oficial


Na nova metodologia o pico do desemprego real se mantém em agosto de 2020, com 24,63% de desemprego real. O cálculo indica que a taxa, que cresce desde o fim do ano, alcançou 21,6% ao fim do 1º trimestre. A PNAD Contínua e o Caged continuam discrepantes. Para os últimos 12 meses até março, contando empregado e empregador formal, a PNAD mostra um saldo negativo em 5,25 milhões na população ocupada contra um aumento líquido de 1,93 milhões de vagas de acordo com o Caged.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo