MINUTO DE ECONOMIA


APESAR DA DEFLAÇÃO NO IGP-M, PROBLEMA DA INFLAÇÃO CONTINUA PREOCUPANDO, MAS CHOQUE DE TARIFA DE IMPORTAÇÃO SERIA UM ERRO…

  • O índice oficial de inflação, o IPCA, registrou 9,68% em 12 meses, muito acima da meta de 3,75% para 2021.

  • Um choque de redução de tarifas de importação conforme proposta do ministro Paulo Guedes não parece adequado.

  • A política comercial deve ser usada com base em planejamento de médio e longo prazo acompanhando a redução do Custo Brasil. Mudanças repentinas apenas acentuam o clima de insegurança jurídica e instabilidade de regras, inibindo o investimento.

CAGED REVELA GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS ACIMA DAS EXPECTATIVAS EM AGOSTO …

  • Dados do CAGED revelam saldo positivo de 372.265 mil empregos formais em agosto, acima da projeção da GO Associados (285 mil) e do mercado (272 mil). 

  • O saldo de empregos formais acumulados desde o início de 2021 é de 2,2 milhões. O mercado de trabalho formal apresenta um saldo positivo também considerando o início da pandemia em março de 2020. O saldo positivo do Caged é de 1,9 milhões de empregos.

Saldo, demissões e admissões desde o início da pandemia (milhões)


  • Ainda assim, a taxa de desemprego oficial (que considera o mercado de trabalho formal e informal) indica 14,1 milhões de desempregados.

  • No mês de agosto todos os setores apresentaram saldo líquido positivo na geração de empregos com a maior contribuição vindo do setor de serviços, com 180 mil vagas criadas, enquanto o comércio criou 77 mil vagas. 

  • O bom resultado destes setores é importante, dado os maus resultados destes segmentos no auge da pandemia. 

Criação de empregos por setor


DEFLAÇÃO NO IGP -M: BOCA DE JACARÉ ENTRE IPCA E IGP-M COMEÇA A FECHAR…

  • O IGP-M de setembro caiu 0,64%, queda maior do que a mediana das expectativas do mercado (-0,45%) e do que a da GO Associados (-0,3%).

  • O principal responsável pela deflação no IGP-M foi a queda no preço do minério de ferro. Em setembro a queda foi de 21,74%, se não fosse esta queda o indicador teria apresentado alta de 1,21%.

  • O índice de preços ao produtor amplo (IPA) representa 60% do IGP-M, por isso o índice é mais sensível a variação de preços das commodities e do câmbio. O IPA caiu 1,21% em setembro, apesar de ainda acumular 30,54% nos últimos 12 meses.

  • A desaceleração do IGP-M e a disparada do IPCA fizeram a boca de jacaré que se formou ano passado entre IGP-M e IPCA começar a fechar. IGP-M de setembro e o IPCA de agosto acumulam alta respectivamente de 24,86% e 9,68% nos últimos 12 meses.

IPCA e IGP-M acumulado em 12 meses (%)


  • O Índice de Preços ao Consumidor, que tem peso de 30%, registrou alta de 1,19%, acumulando 9,2% em 12 meses. O principal responsável foi o item “tarifa de eletricidade residencial”, cuja taxa passou de 3,26% em agosto para 5,75% em setembro.

  • Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,56%.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo