MINUTO DE ECONOMIA


Avanço da variante Delta pode comprometer retomada no mundo e no Brasil…   

  • Ao longo dos últimos meses, o avanço da vacinação e o controle da pandemia nos países desenvolvidos impulsionaram o otimismo do mercado. Com a perspectiva de um retorno à normalidade das atividades, as bolsas de valores ao redor do mundo encontravam-se em patamares recordes nas últimas semanas.

  • Desde o início de junho, o número de novos casos de Covid-19 no Reino Unido está em alta. Quase a totalidade destes é atribuída à cepa Delta. Apesar de ainda não se refletir no número de mortes, a média diária de novas infecções já se aproxima do pico da segunda onda.

  • Desde a última semana, no entanto, o temor de um atraso na normalização das atividades econômicas, com possíveis novas rodadas de restrições de mobilidade, tem gerado fortes desvalorizações nas principais bolsas do mundo.


Casos diários de Covid-19 por milhão de habitantes

  • Os preços do petróleo também caíram fortemente. Além do acordo firmado pela OPEP+ para elevar a produção, a perspectiva de uma demanda elevada por transportes nos próximos meses perdeu força. O barril do Brent, que estava no patamar de US$ 76 caiu para cerca de US$ 68.

  • Apesar do Brasil estar em um momento de redução de casos e mortes por Covid-19, a incerteza gerada por estes fatores internacionais causou queda na bolsa de valores e perda de valor do Real. O dólar, que chegou a ser negociado a R$ 5,07 na última semana, hoje está no patamar de R$ 5,23.

Avanço da variante Delta e seus impactos sobre as bolsas


  • Quanto ao avanço da variante Delta no Brasil, os dados oficiais ainda indicam uma participação de menos de 2% dos novos casos. No entanto, os dados brasileiros são menos precisos, dado o baixo nível de testagem em relação aos países desenvolvidos.

  • O País apresenta processo de disseminação comunitária dessa cepa (quando as novas contaminações se dão entre os habitantes do local, sem a necessidade de um contato direto ou indireto com estrangeiros). De acordo com dados do Governo do Rio de Janeiro, a Delta já é responsável por cerca de 17% das novas infecções.

  • Com a maior disseminação da variante Delta e os baixos níveis de vacinação completa (16% da população), uma nova alta no número de novos casos é um cenário possível e mais um risco para a retomada da economia brasileira.

  • Se tal cenário se verificar, haverá uma mudança significativa na conjuntura. Haveria menos pressão sobre preços de combustíveis e maior pressão sobre o preço do dólar; arrefecimento da demanda; e acirramento da polêmica em torno do timing de reabertura da economia com impactos relevantes sobre os serviços.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo