MINUTO DE ECONOMIA


Leia em segundos os Minutos da semana…

  • Copom elevou a taxa básica de juros de 9,25% para 10,75%, com previsão de continuidade dos aumentos em 2022.

  • Apesar das oscilações, indústria fecha 2021 crescendo 3,9%. Resultado em dezembro foi positivo.

  • Os dados do Caged mostram retomada do emprego formal. Em 2021, foram criadas 2,7 milhões de vagas.

  • Setor público consolidado fecha 2021 em superávit de R$ 64,7 bi, primeiro desde 2013.

  • Congresso e STF retomam as atividades e o governo apresenta a PEC dos Combustíveis.

O que vai mexer com as expectativas na próxima semana…   

No cenário doméstico:    

  1. O principal destaque da próxima semana deve ser o resultado do IBC-Br de dezembro e 2021 na sexta, dia 11. a projeção da GO Associados é de 0,3% de alta. O bom desempenho da economia em novembro e dezembro deve melhorar as projeções para 2022.

  2. Na quarta-feira, dia 9, será divulgado o resultado do IPCA de janeiro. A projeção da GO Associados é de alta de 0,71% e do mercado de 0,65%. Se confirmado um valor próximo das expectativas, o IPCA acumulado em 12 meses deve cair para menos de 10%, entretanto, ainda bem acima do teto da meta, 5%.

  3. Além do IBC-Br na sexta, a divulgação das Vendas no Varejo na quarta e da Pesquisa Mensal de Serviços na quinta devem dar a exata noção do desempenho da economia brasileira ao longo de 2021. Apesar da Variante Ômicron, a expectativa da GO Associados é de que os dois indicadores continuem mostrando recuperação, impulsionados pelas festas de fim de ano e compras de Natal.

  4. Na terça-feira o Copom divulgará a ata da reunião que definiu um aumento de 1,5 p.p. na taxa básica de juros. Importante acompanhar a indicação do Comitê sobre os próximos passos da política monetária para fazer a inflação voltar a ficar abaixo do teto da meta e principalmente saber até quando deverá durar o ciclo de altas na Selic.

  5. Nesta semana houve solenidades para o retorno as atividades no Congresso e no STF; na próxima semana deverá ter início as atividades parlamentares e judiciárias. O destaque na Câmara e no Senado deve ser a discussão da PEC dos combustíveis apresentada hoje. Além do conteúdo da PEC, pesará o fato de ter sido articulada pelo Ministro Ciro Nogueira (PP) sem o aval do Ministro da Economia, Paulo Guedes.

  6. Na próxima semana as divulgações de destaque para balanços corporativos serão Sanepar, Tim, Bradesco e Usiminas.

No cenário internacional: 

  1. O destaque da próxima semana continuará sendo os desdobramentos de um possível conflito entre a Rússia e a Ucrânia. O presidente Jair Bolsonaro anunciou que irá manter uma visita à Rússia em meados de fevereiro. Tal visita é vista com maus olhos por países ocidentais que pressionam os russos a não invadir a Ucrânia. A tensão vem elevando os preços do petróleo no mercado internacional, com o barril do Brent cotado a quase US$ 93.

  2. Na quinta-feira, os EUA anunciam a taxa de inflação de janeiro. O indicador fechou 2021 em 5,9% no acumulado de 12 meses contra uma meta de inflação de 2%. Os resultados de janeiro e fevereiro devem ajudar o FED a decidir qual será a intensidade e duração adequada do ciclo de altas da taxa de juros a partir de março.

  3. Na sexta-feira será conhecido o PIB do Reino Unido em 2021. Será o primeiro resultado anual da economia britânica após a fase de transição da saída da União Europeia, iniciada em 2020.



0 visualização0 comentário