MINUTO DE ECONOMIA


Avanço da vacinação e abertura da economia fazem taxa de desemprego ficar abaixo do patamar do pré-pandemia…   

  • Apesar de uma renda menor, a recuperação do mercado de trabalho é positiva. A expectativa da GO Associados é de que a taxa de desemprego feche o ano em 11,2%.

  • A taxa de desemprego no trimestre móvel encerrado em novembro caiu de 12,1% para 11,6%. A queda foi superior às expectativas da GO Associados (11,8%).   



  • A queda na taxa de desemprego reflete a retomada da atividade econômica, principalmente do setor de serviços. O nível de pessoas ocupadas é o maior desde janeiro de 2020.  

  • A população subutilizada caiu 2,68%, chegando a 29,1 milhões de pessoas.  

  • O número de empregados sem carteira assinada subiu 7,4% enquanto os empregos com carteira assinada aumentaram 4%.

  • A taxa de informalidade está em 40,6%. O mercado de trabalho informal tem retomado o ritmo mais rápido que o formal, como consequência da burocracia e do custo de contratação formal.

Taxa de informalidade 2016-2021


Fonte: Pnad continua. Taxa de informalidade = (empregado no setor privado sem carteira de trabalho assinada + trabalhador doméstico sem carteira de trabalho assinada + conta própria sem CNPJ + empregado no setor público, exclusive militar e funcionário público estatutário sem carteira de trabalho assinada) / total de pessoas ocupadas.

  • Se o mercado de trabalho está retomando o nível pré-pandemia, a renda ainda não está recuperando no mesmo ritmo, graças à aceleração da inflação e o crescimento da informalidade: o rendimento real habitual ficou em R$2.444,00, uma queda de 4,5% em comparação ao trimestre anterior e 11,4% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

IGP-M de janeiro volta a acelerar por causa do aumento no preço do petróleo e outras matérias-primas…

  • O IGP-M de janeiro subiu 1,82% abaixo da expectativa do mercado, 2,01% do que a expectativa do mercado. Índice fechou 2021 em 17,78%, agora no acumulado de 12 meses está em 16,91%.

  • A alta do IGP-M em janeiro de 2022 foi menor do que a de 2021, 2,81% e maior do que a de dezembro de 2021, 0,87%.

  • O minério de ferro subiu 18,26%, foi a maior contribuição do IPA (índice de preços ao produtor amplo) que representa 60% do IGP-M e avançou 2,30%. A IPA é o índice mais sensível à variação de preços das commodities e do câmbio.

  • A combinação da alta menor do IGP-M e a disparada do IPCA começou a fechar a boca de jacaré entre os dois índices como mostra o gráfico. O IGP-M de janeiro e o IPCA de dezembro acumulam alta, respectivamente, de 16,91% e 10,06% nos últimos 12 meses. 

IPCA e IGP-M acumulado em 12 meses (%)



  • O Índice de Preços ao Consumidor, que tem peso de 30% no IGP-M, registrou alta de 0,42%, acumulando 9,33% em 12 meses.

  • Para o resto do ano, é preciso ter atenção sobre reajustes em preços administrados, como passagens de transporte público, por exemplo, que devem sofrer reajustes refletindo a disparada dos combustíveis observada ao longo de 2021. Tal fato tem maior relevância para o IPCA no qual a cesta de bens de consumo tem maior peso.

  • Para 2022 a projeção é de que o IGP-M volte ao patamar abaixo dos 10% com a melhora na organização das cadeias produtivas e na ausência de situações climáticas adversas. A projeção da GO Associados para o IGP-M e IPCA em 2022 é de, respectivamente, 5,5% e 5%.

O que vai mexer com as expectativas na próxima semana…     No cenário doméstico:    

  1. O principal destaque da próxima semana será a reunião do Copom na próxima quarta, dia 2, a expectativa é de que a taxa básica de juros passe a 10,75%, aumento de 1,5 p.p.. Mais importante serão os indicativos dos próximos passos, principalmente considerando o aumento indicado da taxa de juros nos EUA.

  2. O recesso parlamentar termina também na próxima quarta-feira, dia 2. Na Câmara a expectativa é da análise da PEC dos combustíveis, que propõe a redução dos impostos federais sobre combustíveis e da regulamentação do mercado de carbono (PL 528/21).

  3. Apesar da baixa chance de aprovação, a expectativa é de que ocorra a análise no Senado da PEC 110/2019, que trata sobre a reforma tributária.

  4. O Caged de dezembro e de 2021 será divulgado na segunda-feira, dia 31 de janeiro. O mercado formal deve mostrar saldo negativo em dezembro, mas um resultado positivo e próximo de 2,8 milhões no consolidado do ano.

  5. A Produção Industrial de 2021 será divulgada na quarta, dia 2. A indústria, mesmo apresentando seis quedas consecutivas, apresenta crescimento acumulado de 4,7% até novembro.

No cenário internacional: 

  1. No cenário internacional o destaque continua sendo a tensão entre Rússia e Ucrânia. A tensão elevou o preço do petróleo para próximo dos US$ 90 na última semana.

  2. Indicadores importantes sobre o mercado de trabalho dos EUA serão divulgados ao longo da próxima semana principalmente na sexta com o payroll não agrícola e a taxa de desemprego.

  3. O Índice de Compras dos Gerentes (PMI) para a economia chinesa será divulgado na segunda, enquanto na quinta será divulgado o dos EUA e Zona do Euro.

  4. O mercado chinês ficará fechado ao longo da próxima semana em comemoração ao ano novo chinês.


0 visualização0 comentário