Inflação, combustíveis e as expectativas para a próxima semana | MINUTO DE ECONOMIA


Leia em segundos os Minutos da semana…

  • Preço do petróleo disparou, ultrapassando os US$130 dólares no início da semana. Com avanço nas negociações entre Rússia e Ucrânia recuou para US$ 109.

  • Indústria enfrenta as sequelas da pandemia e as mazelas da guerra. A produção industrial caiu 2,4% em janeiro.

  • Reajuste no preço dos combustíveis não elimina defasagem em relação aos preços internacionais. O aumento de 18,7% no preço da gasolina e de 24,9% no preço do diesel nas refinarias começa a valer hoje. O gás liquefeito de petróleo (GLP) também será reajustado, com o percentual de 16%.

  • Desempenho do varejo em janeiro foi melhor do que o mercado previa, em janeiro, de 0,8%. A expectativa do mercado era de 0,3% e da GO Associados de 0,1%.

  • Safra 2021/22 será menor do que projetado, mais ainda deve ser recorde. A Conab

  • divulgou o 6º levantamento sobre a safra 2021/22 de grãos, registrando 265,7 milhões de toneladas, 4% superior à de 2020/21 (255,4 milhões de toneladas). 

  • Caged de janeiro mostra continuidade do bom momento da geração de empregos. O saldo formal de empregos indicou criação líquida de 155.178 empregos formais no mês de janeiro de 2022.

Educação puxa para cima inflação de fevereiro, IPCA de fevereiro foi de 1,01% conforme projetado pela GO Associados…

  • O IPCA de fevereiro foi de 1,01%, mesmo resultado da GO Associados e acima da projeção do mercado 0,95%.  

  • O resultado de fevereiro é o maior para o mês desde 2015. No acumulado de 12 meses, a inflação passou de 10,38% em janeiro para 10,54% em fevereiro.

  • O teto da meta é de 5%, o resultado acumulado em 12 meses já é superior ao dobro do teto.

  • O item transportes que apresentou alta de 0,46% em fevereiro devem voltar a ser um vilão dos preços em março, com o reajuste nos combustíveis e no gás de cozinha que passou a valer hoje.



IPCA acumulado em 12 meses



  • As projeções de inflação para 2022 seguem distantes do teto da meta e com viés de alta. A GO Associados atualizou novamente sua projeção para 2022, de 5,7% para 6,1% dada a recente pressão nos preços dos combustíveis.

  • Hoje passa a valer o reajuste no preço dos combustíveis em razão da alta nos preços do petróleo.

O que vai mexer com as expectativas na próxima semana…

No cenário nacional:

  1. O principal evento da próxima semana será a decisão do Copom, a ser anunciada na próxima quarta-feira. A expectativa do mercado e da GO Associados é de aumento de 1 p.p., fazendo a taxa básica de juros chegar a 11,75%. Importante observar a reação da autoridade monetária frente a guerra Rússia e Ucrânia e a disparada nos preços de commodities.

  2. Em relação ao impacto do conflito, o Legislativo deve aprovar o pacote dos combustíveis, que contém o PL 1472 e o PLC 22/2020. Segundo Paulo Guedes, o pacote reduz em dois terços o impacto do reajuste da Petrobrás sobre o diesel.

  3. Em relação a indicadores, destaque para os de atividade. A Pesquisa Mensal de Serviços para janeiro será divulgada na quarta, dia 16, enquanto a prévia do PIB será divulgada na quinta, 17.

  4. Também na próxima semana a taxa de desemprego de janeiro será divulgada na sexta. A taxa de desemprego deve apresentar uma leve elevação, de 11,1% para 11,2%.

  5. O leilão de destaque na infraestrutura ocorrerá na sexta com a concessão do Lote Triângulo Mineiro em Minas Gerais, que envolve trechos da BR-365, da BR-452 e de estradas estaduais, a previsão de investimento é de R$ 2,5 bilhões.

No cenário internacional:

  1. No cenário internacional o destaque é a reunião do FOMC, que também ocorrerá na quarta-feira e deve marcar o início de altas das taxas de juros internacionais. Na quinta os bancos centrais da Inglaterra e do Japão também terão decisão de política monetária.

  2. Em relação a guerra da Ucrânia e seus efeitos sobre as commodities, a última semana teve as primeiras sanções contra o petróleo russo e notícias positivas sobre as negociações entre Rússia e Ucrânia, o que fez com o petróleo baixasse para a casa dos US$ 109.


0 visualização0 comentário