Guerra e a alta dos preços para combustíveis | MINUTO DE ECONOMIA


NOVA CONJUNTURA DE GUERRA ELEVA EXPECTATIVA DE INFLAÇÃO PARA QUASE O DOBRO DA META DE 2022

Alta no preço dos combustíveis e no gás de cozinha será fator importante na decisão da taxa de juros…

  • O recente aumento no preço dos combustíveis terá reflexo na inflação de 2022. A mediana das expectativas de inflação para 2022 saltou 0,8 p.p. de uma semana para outra, passando de 5,65% para 6,45%. A meta de inflação de 2022 é de 3,5% com teto de 5% e piso de 2,5%.

  • Na última semana, o preço médio da gasolina foi de R$ 6,70. Porém, em estados como o Rio de Janeiro, o preço máximo chegou a R$ 8,19. Considerando um aumento no preço médio da gasolina de R$1,00, o impacto direto apenas deste item sobre o IPCA será de 0,84 p.p. A gasolina acumula uma alta de 31,62% no IPCA.

  • O aumento do diesel tem um impacto direto menor. Para cada R$1,00 adicional, o efeito é de 0,03 p.p. No caso do botijão de gás, um aumento de R$ 10 causa impacto de 0,12 p.p. no IPCA.

  • Apenas os três itens podem ter um impacto de 0,99 p.p. no IPCA de março, que no acumulado de 12 meses já está em 10,54%, representando mais do que o dobro do teto da meta de inflação.

  • Amanhã o Comitê de Política Monetária anuncia a decisão sobre a taxa de juros A projeção da GO Associados é de uma alta de 1 p.p., com a taxa Selic passando de 10,75% para 11,75%.

  • A decisão é importante para o preço dos combustíveis, pois uma alta na taxa de juros tem reflexos no câmbio, impactando no preço do petróleo em reais, mesmo que o preço do barril fique constante.


0 visualização0 comentário